dropopinião

O que esperar do iOS 5?

Este é o segundo post, de uma série de 3 programados, do especial WWDC 2011. Celebrando a primeira vez que a apple anuncia os temas a serem tratados numa WWDC.

Ao contrário do Lion, que foi anunciado ano passado e já existem previews disponíveis, o iOS 5 ainda é um mistério. Inclusive, essa semana foi a primeira vez que a Apple se referiu a essa versão como iOS 5. Veja aqui as expectativas do mercado e a probabilidade dela estar disponível no iOS 5:

  • Sincronismo via Wi-Fi: já existe um aplicativo que faz isso. Ele foi rejeitado na App Store, e hoje em dia pode ser encontrado no Cydia. Eu uso o Wi-Fi Sync. É bastante estável e lento. Como em casa tenho uma central de recarga, tanto para o iPhone como para o iPad, é bastante prático. Não existem empecilhos técnicos para essa implementação mas é difícil da Apple adotá-la agora. A lentidão é o maior problema.
  • Atualizações Over-The-Air: no android já é assim. Hoje quem tem iPad, iPhone também, precisa de um computador para efetuar as atualizações do sistema. No Over-The-Air, ao invés do usuário baixar o iOS dentro do iTunes no computador, ele baixaria via Wi-Fi ou 3G. É bastante provável que a Apple adote o Over-The-Air, assim ela tornaria o iPad mais forte e independente de um computador. E mais poucas pessoas mantém o seu dispositivo na versão mais recente. O Over-The-Air seria um diferencial para manter o parque atualizado.
  • Atualizações menores: o iOs 4.3 tinha cerca de 670 megas. Para que o Over-The-Air aconteça via 3G, a Apple precisa adotar um esquema de otimização nas suas atualizações. Ao invés de baixar todo o iOS, baixar apenas um diferencial entre a versão instalada e a nova. É pouco provável a adoção dessa prática. A Apple pensa em “bloco”.
  • Atualizações das assinaturas em Background: com a entrada de revistas e jornais no iPad, o processo de ir à banca comprar o tornar tornou-se o análogo de abrir o app da revista ou jornal e fazer o download. Seria um diferencial se o download fosse feito automagicamente durante a madrugada nos casos de assinatura diária. É bem provável que a Apple adote essa prática.
  • Reconhecimento de Voz e Fala: ampliaria o controle de voz que é bastante limitado. Até hoje não é possível tocar podcasts por exemplo. Faria muito bem ao iOS 5. Aumentaria enormente as possibilidades de nossos desenvolvedores. Deverá ser implementado.
  • FaceTime via 3G: assim como as vídeo-chamadas no início não podiam ser feitas via 3G, sob alegação de consumo de banda. O mesmo acontece com o Facetime, que transfere cerca de 3 megas por minuto de ligação. O consumo de banda não é bem aceito porque é possível realizar FaceTime, como era possível com as vídeo-chamadas, num computador usando o iPhone como Acesso Pessoal. A Apple deve liberar essa restrição. O mais difícil ela já liberou que foi o Acesso pessoal via Wi-Fi. Quem sabe até ela aumenta o limite de download de 20 megas ou até mesmo remover essa limitação.
  • Melhor sistema de Notificação: o atual sistema é bastante ineficiente. Mostra apenas a última mensagem do aplicativo. É bastante intrusivo, principalmente no iPad quando usado para consumo de mídia. Melhorar o sistema de notificação é um esforço pequeno com grandes ganhos para o usuário. A Apple deve vir com um novo sistema.
  • Widgets: existem no Mac OS X e estavam previstos na primeira versão do iPhone. Mas os planos foram abandonados. É bem provável que eles resurjam no iOS5. Inclusive para uma melhor aproveitamento da Tela de Bloqueio.
  • Tela de Bloqueio aprimorado: atualmente serve apenas para ver a hora e desbloquear o dispositivo. Existem aplicativos no Cydia que alteram a sua Tela de Bloqueio, deixando disponível sua agenda, ligação não atendidas, emails recebidos, por exemplo visíveis. Claro que existem questões de segurança, afinal o dispositivo está bloqueado, mas apenas se o usuário obrigar uma senha de acesso, o que é bastante recomendado. Existem soluções para dispositivos não jailbroken, usando a tela de fundo configurável. Uma Tela de Bloqueio mais informativa é um pedido recente a Apple deve acatá-la.
  • Melhor integração com redes sociais: cada app tem que implementar a sua própria integração com redes sociais. A Apple enfrentou problemas com o Facebook por ocasião do Ping. Mas nada impede que ela integre o twitter ao sistema. Inclusive publicando fotos no twitter. Considerando o histórico de fracasso no que tange ao social, isso não estará disponível no iOS 5.
  • Photo Booth: é uma tendência que os aplicativos da própria Apple dêem o exemplo se tornando universais, inclusive compatíveis com as versões para Mac. Se o processamento dos novos iTrecos não deixar a desejar, a Apple pode incluir o Photo Booth por padrão no iOS 5 e não apenas no iPad 2.
  • Garage Band: o maior limitante aqui é o espaço reduzido. Mas devemos lembrar que o iMovie nasceu no iPhone 4 e não no iPad.
  • Melhor API para a Câmera e fotos: acesso ao dados raw, HDR não só no app padrão, capacidade de regular a exposição rapidamente como no HDR, regular o ISO e a velocidade do obturador, permitir acesso à biblioteca de fotos são algumas necessidades dos desenvolvedores. Algumas funcionalidades devem ser implementadas pela Apple.
  • “iPhoto” com reconhecimento facial: tal qual no iPhoto para Mac. Pouco provável, mas daria mais independência ao iPad.
  • Biblioteca de documentos: cada aplicativo tem a sua própria área de documentos. Não é possível iniciar um documento no Pages e terminar n QuickOffice, por exemplo, usando apenas a memória do iDevice. Talvez o iCloud ajude nessa tarefa. Porque é pouco provável que a Apple crie uma biblioteca similar à das fotos para documentos.
  • YouTube: os vídeos travam com bastante frequência. Maior ainda em vídeo HD. Além de ser difícil de escolher qual versão queremos assistir.
  • Sensibilidade de pressão: o Garage Band já reconhece a pressão do toque. É bem provável que seja liberado uma API para nossos desenvolvedores.
  • Dicionário editável: já existe um tweak Cydia para isso. E a gambiarra de adicionar certas palavras nos Contatos. É chato ter que reinicilizar a auto-correção de tempos em tempos. Apesar do inconveniente a Apple preza pela facilidade. Chance zero de termos isso no iOS 5.
  • Acesso rápido aos Ajustes: Esse é o principal motivo de realizar JailBreak no iOS 4.3. Mas isso é coisa de usuário avançado. A apple valoriza o simples. Não veremos isso.
  • Mapas próprio: é sabido que a Apple está trabalhando em ter independência dos Mapas do Google. Depois da compra Poly9, uma empresa de mapas, ainda temos as informações de tráfego por crowdsourcing que vazou com o LocationGate. Porém, Eric Schimdt confirmou a renovação do acordo entre o Google e a Apple. Continuaremos com os Mapas do Google por mais um ano ao menos.
  • Navegação por voz nativa: a Apple vai esperar mais um ano.
  • Google Street View e direções dentro dos apps: É possível que Apple acate essa sugestão. Seria um esforço pequeno e um grande benefício na imagem do iOS5.
  • Apps Retina sem 2x: com os apps adaptados para retina display, o 2x no iPad perde o sentido. A Apple deverá corrigir essa falha usando o modo retina.
  • Gerenciamento de chamadas: faz falta ter a opção de rejeitar certos números automaticamente. Um encaminhar ligações mais ágil,. Desligar o telefone em horários específico. Novamente a Apple valoriza o simples. Implementar esse gerenciamento demanda planejamento. Poucos rumores vazaram a esse respeito. Não teremos isso ainda.
  • Suporte Bluetooth mais amplo: a Apple tem problema com coisas azuis. Blu-Ray e BlueTooth não. Chance zero.
  • AirDrop: poderia ser uma opção para compartilhar informações entre iTrecos e até Macs rodando Lion. Porem a Apple deve aguardar mais um tempo até vermos essa possibilidades.
  • Suporte NFC: Não só para pagamentos, mas também para interação entre apps. Já temos o Google Wallet e o PayPal trabalhando com esse foco. Dependerá da disponibilidade do hardware no iPhone 5.
  • Apps para o Apple TV: o Apple TV ainda é um brinquedo, uma extensão dos produtos Apple sem vida própria ainda. Não teremos uma revolução na TV essa ano.
  • Reconhecimento biométrico: pouco provável. Até hoje ainda não temos isso implementado no Mac OS.
  • Roll Back: tanto de aplicativos, em caso de bugs graves, como do iOS. Os desenvolvedores acabam testando apenas a versão mais recente devido a essa impossibilidade. Entretanto a Apple não mudará isso.
  • Trial de Apps: permitir a um trial dos apps por alguns minutos antes da compra seria bom. Eu já devolvi diversos Apps por não atenderem a minha expectativa. Mas nem todos fazem isso. A Apple não mexerá nisso.
  • Validação automática de Apps: Já existem ferramentas não oficiais que fazem essa validação. Uma oficial seria um diferencial. A Apple não acatará essa sugestão.
  • Suporte ao “puxe para atualizar”: se tornou um a padrão bem aceito nos aplicativos com listas. A Apple não o adotará em suas API’s.
  • Acesso aos botões do hardware: tirando fotos com o volume por exemplo, como feito pelo Camera +. A Apple não irá alterar seus guidelines.
  • Menus Radiais: uma patente sugere uma nova disposição dos ícones na Home Screen. Tomando por base a iOSificação do OS X, a Home Screen não será alterada.
  • Melhor controle sobre o teclado: trabalhar com o teclado é bastante não natural para os desenvolvedores. A Apple poderia facilitar, porém é pouco provável que isso seja feito no iOS 5.
  • Melhor uso da nuvem e streaming: isso é assunto do próximo post, iCloud.

 

 

Etiquetas

Gustavo Faria

de um tempo em que a UFRJ formava não cientistas da computação, mas bacharéis em informática e acompanhe as Dicas do Coca.
Fechar