opinião

Reflexões sobre o Windows 8

Estou usando o Windows 8 Consumer Preview há 2-3 semanas. Gostei do que vi.

Vou comentar algumas coisas que me chamaram a atenção:

  • Aplicativos auto-contidos, facilidade ao desinstalar, no melhor estilo iOS.
  • Aplicativos não “fecham”, como no iOS eles vão para background sem ocupar recursos.
  • Tela Cheia, isso é a melhor funcionalidade do iOS. Não só por evitar distrações. Mas também porque o desenvolvedor pode projetar um app sabendo que todos os recursos da máquina estarão disponíveis para ele.
  • Botões grandes, facilitando o uso mouse e também da interface multi-toque.
  • Cantos da tela com ações, para acessar os apps em “execução”, para acessar a tela inicial. Acabou o botão “Iniciar”.
  • Windows Store, uma loja de aplicativos facilita a “personalização” da máquina.
  • Windows Account, sucessor do Windows Live. Agrega as suas contas/”preferências” .

É possível desabilitar a interface Metro, e voltar a usar a interface padrão.

A interface metro é forjada em cima da interface do Windows Phone 7. Que por sua vez foi baseado no Zune. Sendo esse um fracasso. Você conhece alguém que tenha Zune? Eu conheço. E ainda acha melhor que o iPod. Não, não é o Bill Gates. 🙂

Muitos dos recursos do windows 8 estão presentes no OS X. Embora acredito que a Microsoft tenha se inspirado nos tablets. A mesma fonte das últimas atualizações do OS X.

o WinFS, um “plug-in” em cima do NTFS, que seria o novo sistema da Microsoft, permitindo lidar com o sistema de arquivos como se fosse um banco de dados. Imagine linkar o texto [email protected] como sendo o email do CocaTech. E ao alterar o email todas as referências seriam atualizadas. Vamos desconsiderar o problema de histórico. Imagina atualizar dados de um contrato já assinado. Complicaria para o usuário talvez. Mas meu lado geeek gostaria.

Assim como também gostaria a separação entre interface e código como um dos pilares do sistema.

A Microsoft é famosa por suas brigas internas. Foi assim com o Windows NT, Vista, etc. No 8 não foi diferente. A divisão de desenvolvimento, DevDiv com a WinDiv. A galera de servidor, empresas… Enfim.

Com 90% do mercado, e uma solução integral desde servidores, desktops, notebooks, tablets e smartphones, a Microsfot promete.

Gustavo Faria

de um tempo em que a UFRJ formava não cientistas da computação, mas bacharéis em informática e acompanhe as Dicas do Coca.
Fechar