notícias

Resumo da Google I/O 2014

Google-IO-2014

Apesar Keynote ter sido chata longa e previsível(spoilers estragam a surpresa). Eu gostei dos sinais de maturidade.

android.com

Senti falta do Google+ que foi ponto alto em 2013, Google Glass foco em 2012, do project Ara e do “HomeKit” da Nest. Talvez a Nest tenha sido poupada para não entrar na minha lista coisas esquecidas em 2015.

O Google precisa caprichar mais nos nomes. Android L, Android Expansion Pack?! Apelo zero bola.

E definitivamente o Google precisa achar o seu Craig Federighi.

Quem assistiu a apresentação pode escolher entre um LG G watch ou Samsung Gear Live para levar para casa. E mais um Moto 360 quando estiver disponível. O
developers.google.com/cardboard também foi um presente, uma espécie de óculos de realidade virtual para a tela do smartphone.

Android L

Vontade de chamar de Lollipop.

Similar a Apple, o Android L chegará amanhã para os desenvolvedores, para ajustarem seus apps, e até o fim do ano chega ao público.

O foco foi em design, com o Material Design. Finalmente temos uma padronização.

google.com/design

Mas tiveram novidades como o ART como nova runtime. É 64 bits e não precisa mexer nos Apps atuais.

O ART roda em ARM, x86 e MIPS. Não é à toa que os Apps Android agora rodam em Chromebooks.

O desempenho chega a ser 2x superior. E para todos os Apps. Há melhor gerenciamento de RAM.

Novo gerenciamento de bateria com o Project Volta.

Material Design

A ideia é unificar o visual do Android. Todo o Google passa a adotar o Material Design, até a web.

De acordo com o tamanho da tela, a tipografia muda para deixar a leitura mais confortável. Lembre-se que além das minúsculas telas dos smartwathches, há as gigantes telas de TV’s.

Imita textura e comportamento de objetos reais.

Usa-se muito animações para deixar tudo mais intuitivo e funcional.


 

Personal Unlock

Se o Android L reconhecer os dispositivos Bluetooth, redes Wi-Fi’s e/ou geolocalização, não será preciso digitar senha para destravar o dispositivo.

Só não podem roubar tudo ao mesmo tempo.

Factory Reset Protection

É o Kill switch. Vulgo Activation Lock da Apple. Também haverá um controle centralizado de privacidade.

Chrome

Também entra no Material Design.

Haverá um card na multitarefa para cada aba do Chrome. E na busca do Google haverá link para abrir diretamente os Apps instalados se for relevante.

Android Extension Pack

Faz as vezes do Metal da Apple.

Tudo para obter desempenho dos gráfico dos PC’s.

Android One

Smartphones com Android puro por USD 100. Começam a ser vendidos na Índia. Terão Dual Chip, Rádio FM, tela de 4.5″e cartão SD. No melhor estilo Moto E.

O mercado emergente é a melhor forma de ampliar o parque instalado.

Android Wear

O Preview aos desenvolvedores veio em março. Mas foi hoje que o Google detalhou o Android para vestíveis, incluindo os smartwatches.

Basicamente o Android Wear serve para exibir notificações no formato de cards do Google Now. Contextualizadas, é claro. Se você estiver num aeroporto, portão de embarque e tudo associado ao momento será exibido.

Há um modo Não Perturbe para desligar todas as notificações.

A interface é baseada em swipes. Verticais movem de cartão e laterais mostram mais dados sobre a mesma.

Há suporte para o Ok Google sempre ativo no melhor estilo Moto X.

Sempre que instalar um App no Smartphone, o App equivalente para Android Wear será instalado no Smartwatch.

As vendas do Gear Live da Samsung, uma versão do Gear com Android Wear ao invés do Tizen, e do LG G watch iniciam hoje. O Moto 360 chega até setembro.

Será possível controlar a Android TV com o Android Wear.

Android Auto

Em resumo é um CarPlay. Será possível usar a Tela do Painel do Carro para exibir informações e controlar o smartphone.

Tudo com muito card e muita voz.

Nada fica no carro, está tudo no smartphone.

Mas diferente que apenas Apps selecionados podem usar o CarPlay, ao menos por agora. Qualquer App poderá fazer uso do Android Auto SDK. Quase uma espécie de “Chromecast”.

Me pergunto se é um QNX disfarçado como o CarPlay.

Serão 40 montados com o Android Auto. Algumas suportando também o CarPlay.

Android TV

É um Sistema Operacional que pode estar nas TV’s ou em set top boxes. A Sony vai migrar todas as suas SmartTVs para Android TV. Sharp e Philips também entraram na onda Android TV. Espero que não ocorra fragmentação.

Rodará Apps Androids padrão.

Pode ser controlado com o “Ok Google”. Suporta Joystick para os games, e é possível fazer multiplayer com um tablet android, por exemplo.

Mas o Android TV é completamente independente, diferente do Chromecast. Mas tem Google Cast, é como se tivesse um Chromecast embutido no Android TV.

O Google Cast é o “selo” de streaming do Android.

É uma super “Fire TV”.

Chromecast

Suportará espelhamento para os aparelhos tops. Fragmentação…

Surge o backdrop para configurar o “protetor de tela”. É possível se conectar ao Google+ para exibir suas fotos, ou “canais” de interesse, exibindo mais informações se for solicitado.

Um amigo visitando a sua casa poderá usar o seu Chromecast sem saber a senha da sua rede Wi-Fi. Pela proximidade, aparecerá um PIN na TV, uma vez digitado o PIN no aparelho, o acesso será liberado.

Chromebooks

Rodarão os Apps Androids e exibirão as notificacões como o Smartwatch.

Só faltou atender ligação.

Google Fit

Ficou muito para o final. Poderia ter tido mais destaque. É o concorrente do HealthKit da Apple.

Google Glass

Apesar de não ter feito parte da Keynote. Antes da Apresentação o Google anunciou uma nova versão do Glass. Mais 20% de bateria e o dobro de RAM, 2 GB.

E chegou um App para fazer live streaming. Ok Google start broadcast. Alô privacidade!

Além de outros 11 novos Apps.

Etiquetas

Gustavo Faria

de um tempo em que a UFRJ formava não cientistas da computação, mas bacharéis em informática e acompanhe as Dicas do Coca.
Close