opinião

Híbridos

hybrid

O mercado vem se redefinindo e ninguém sabe muito bem aonde vai parar.

Os próprios fabricantes estão confusos e com isso, talvez até para testar o mercado, está vindo uma onda de “híbridos”.

Smartphones que são Tablets, Tablets que são Notebooks, Notebooks que são Tablets, Vídeo Games que são Computadores, …

Via de regra híbrido não presta.

O que você possui de híbrido?

iPhone com câmera? Quebra um baita galho a câmera. Talvez até seja um “híbrido” de sucesso. Mas é o mesmo que comparar uma lista de To-Do’s com uma solucão completa de GTD(Get Things Done) ou Dropbox com uma solução de backup. A melhor câmera de celular ou qualquer outra point-and-shoot não se equipara a uma DSLR.

O iPhone é um “híbrido”. Telefone e Computador. Sim… e não. Quando um “híbrido” é sucesso ele cria um mercado, e portanto deixa de ser híbrido. Caso do iPhone e do iPad. O iPhone é um dispositivo de comunicação: telefone, email, redes sociais, … É um dispositivo de entrada rápida.

“Digitalizar” um documento no iPhone é muito mais prático do que num computador.

Por outro lado, escrever um email consultando vários documentos, escrever uma tese de mestrado, analisar um relatório, editar um vídeo, … são tarefa muito mais produtivas num Computador.

De novo:Quando um “híbrido” é sucesso ele cria um mercado.

Muitos são os que me questionam sobre a hibridização. Talvez para você tenha uma utilidade. Para a grande maioria creio que híbrido não presta. Você não fará satisfatoriamente nem uma função, nem outra.

Estou errado?

Registre nos comentários os “híbridos” que você utiliza no dia-a-dia.

Gustavo Faria

de um tempo em que a UFRJ formava não cientistas da computação, mas bacharéis em informática e acompanhe as Dicas do Coca.
Close