shutterstock-meia-hora-pomodoro

imagem via Shutterstock

Se você já conhece essa técnica, leia até o final. Se eu não explodir o seu cérebro, manda um e-mail que eu devolvo os seus 10 minutos de leitura. ?

A técnica do Pomodoro foi “popularizada” pelo italiano Francesco Cirillo, no final dos anos 80. Ele “descobriu” que estudar em pedaços de 25 minutos para a faculdade o tornava mais produtivo. Como usava um timer de cozinha que era um tomatinho, veio nome pomodoro (tomate em italiano).

Disse que ele “descobriu” porque Eugene Schwartz, escritor “compulsivo” dos anos 60, produzia muito. E seu truque era escrever como se não houvesse amanhã por  33 minutos e 33 segundos (será que ele tinha TOC?). Com intervalo de 10 minutos entre cada 33:33. E assim ele escrevia por 3 horas seguidas, todo dia. Alguma semelhança?

O Pomodoro sempre esteve presente na história da humanidade. Muitas pessoas descobriram que quebrar uma rotina em pedaços de “meia hora” as tornavam mais focadas e produtivas.

O tempo de concentração de uma pessoa é de pouco menos de 20 minutos. Algumas pessoas até conseguem ficar concentradas por mais tempo. 25 minutos. 35 minutos no máximo.

“Mas… eu fico 2 horas numa aula da faculdade…”

Por isso que você tem dificuldade em aprender.

Depois de “meia hora” você relaxa na cadeira, perde a acuidade mental e exatamente por perder essa acuidade não consegue notar que está deixando de ser produtivo.

No Hackenado a Vida e Hackeando a Produtividade desenvolvo insanamente esse conceito.

O Pomodoro prega foco total. Escolha uma tarefa e se dedique a ela por 25 minutos. Sem nenhuma interrupção. Nem telefone atenda.

Pause por 5 minutos.

A cada 4 Pomodoros, faça uma pausa de 20 minutos. Essa pausa maior é necessária para que seu cérebro assimile as nova informações.

Nada é mais importante que telefone. Já pensou nisso? Se você estiver num pomodoro… o telefone vai ter que esperar.

Nada contra o telefone. Há pessoas importantes para cada um de nós. Mas via de regra, pense nisso, telefone/e-mail é importante e urgente para a outra pessoa. Não para você.

O que você sentiria se eu pegasse dinheiro dentro da  sua carteira?

Se você se incomoda com isso, por que não se incomoda quando eu mando um e-mail ou te ligo, mexo na sua carteira de tempo e interrompo o que você está fazendo?

Em média, quem trabalho com informação é interrompido a cada 3 minutos. Isso aí… 20x por hora. E uma vez interrompido precisamos de 23 minutos(há quem sugira que esse tempo seja de 37 minutos) para voltar ao estado anterior. 23 minutos para remontar o mesmo panorama mental. Só que em 3 minutos seremos interrompidos de novo, como conta a Dra. Gloria Mark.

“Ah Coca… não é assim não vem ninguém na minha mesa a cada 3 minutos…”

Uma notificação no celular é uma interrupção. Mesmo que você não olhe, você fica com aquela pulga “o que será?”. Isso já corta o seu fluxo de pensamento.

A interrupção tem um custo

Algumas pessoas funcionam melhor com 35 minutos ao invés de 25, experimente o que funciona melhor com você. Mas não pense que você é uma máquina que pode trabalhar sem parar.

Temos dois cérebros: um consciente e um que funciona em plano de  fundo.

Sempre um desafio nos é apresentado, esses dois cérebros iniciam a busca da resposta.

E infelizmente, não é possível usar os dois cérebros ao mesmo tempo. O consciente bloqueia o cérebro em segundo plano. Só quando desligamos um pouco o consciente que as informações do segundo cérebro consegue aparecer no consciente. É como chegasse um e-mail.

Quando estamos nos 25 minutos focados na tarefa, estamos no consciente. Quando vamos para a pausa de 5 minutos deixamos o cérebro consciente respirar e o e-mail do segundo cérebro pode ser recebido.

Já notou que as suas grandes ideias acontecem quando você num momento de descanso? Bebendo água, tomando banho, caminhando… É nesse momento que chega o e-mail do segundo cérebro.

Repare é como uma gota de inspiração brotasse no seu consciente e dele você conseguisse fazer surgir um mar.
Pela minha experiência em meditação, consigo fazer umas brincadeirinhas bem divertidas com esse chaveamento cerebral. Mas não vem ao caso.

O que importa é que os benefícios do Pomodoro são muito grandes para você não, pelo menos tentar.

Tá esperando o quê?

Se você não aplica o pomodoro, só posse te dizer uma coisa.

Você perdeu vida.

Aqui eu listo os Melhores Apps para Pomodoro.

Para mais sacadas como essa, assine as dicas que mudam a minha vida (cocatech.com.br/dicasdococa).

Etiquetas

Gustavo Faria

de um tempo em que a UFRJ formava não cientistas da computação, mas bacharéis em informática e acompanhe as Dicas do Coca.
Close